Páginas

3 de março de 2015

Morte com Tinta Tóxica

Uma gata morreu após ter o pelo tingido com tinta cor-de-rosa pela sua dona, a atriz russa Lena Lenina. O animal foi pintado para uma festa temática em que todos os convidados deveriam vestir roupas usando a cor escolhida pela realizadora do evento.

Após receber a pintura em todo o corpo, testemunhas disseram que o felino lambeu o pelo e, de acordo com os médicos veterinários, morreu por ter sofrido uma intoxicação com a tinta. As imagens que foram divulgadas revelam o gato com uma tinta fosforescente pink na festa. Após a morte do animal,Lena Lenina relatou que tem sofrido repreensões de defensores de animais pelo ocorrido. Em resposta, a russa disse que a tinta foi aprovada pelo veterinário, e que ele teria dito que ela não ser prejudicial ao animal.
Lamentável essas peruas fúteis!

17 de fevereiro de 2015

Uma Semana sem Nero

Ultima foto do Nero ao lado do irmão Oak
    Conviver com animais é uma das experiências mais bonitas que tenho tido ao longo da vida. Conviver com gatos em apartamento é uma prática muito fácil, porque os bichanos não vão para rua e por isso não pegam pulgas, não se machucam, não brigam com outros gatos e não pegam doenças, se asseiam sozinhos o tempo todos que estão acordados, e vão sozinhos ao banheiro, que se resume numa caixinha. Nos últimos anos, a cada filho que senti não ter tido, eu adotei um gato até que somei 5 já há muitos anos. E se a gente lembrar de quem tem gato em casa, dificilmente essa pessoa de nosso pensamento possui um gato só! Lógico que já a maioria das pessoas que tem felinos já tiveram um gato só, mas o convívio é tão adorável e fácil que sempre cabe mais um.
     
Nero e seu irmão inseparável. Ele sempre à direita das fotografias.
     Observando a personalidade de cada um deles aqui em casa, e sentindo cada um tão diferente do outro, eu pude experimentar o que é ter mais que um filho só, como no meu caso, que sou mãe de filho único. Eu aprendi o que é ter cinco criaturas do mesmo tipo, amar as cinco da mesma forma, e entender que cada um possui uma necessidade diferente porque o jeito de ser e de viver são diferentes. Como por exemplo, o meu Blondi precisa de lugares escuros, tocas e panos para se esconder. Enquanto que o Carmelo precisa de sossego, e os outros um canto onde possam encostar a cabeça e dormir com conforto. Uns precisam de mais carinho que os outros. Quanta riqueza é conviver com bichos.

Nero a direita com o seu irmão gêmeo.
     Como se não bastasse eles me ensinarem com a vida, me ensinaram também com a morte. O Nero, um dos gêmeos mais velho que nasceu em casa e que se foi numa tragédia caindo do 16ª andar, e o gato principal da casa, aquele que sempre cuidou e se aproximou dos outros três que chegaram, me mostrou que sua própria esperteza, pode ter um lado negativo e abreviar o futuro. Os outros quatro que ficaram, me deram aula de sentimentos, se é que isso exista. Infelizmente, mostraram-me a cada dia desta primeira semana que o Nero nos deixou, o quanto sentiram a falta do irmão, o quanto o procuraram e chamaram. Mas o mais importante, foi me mostrarem que a vida tem que continuar. A morte faz parte dela. Quem vai leva consigo sua alma e quem fica sente um vazio eterno, mas precisa continuar a respirar e si próprio habitar. Quem fica precisa da força do outro para se sentir vivo para poder continuar. Esses 'babiescats' são aqui em casa a grande família que eu e meu filho temos. São as criaturas que nesta semana nos deram força e animo de viver. Porque para a gente não estar vazio nessa vida, não precisa raciocinar para interagir. Com a presença constante e o sentimento firme no propósito, um bicho também tem força para nos dar o ânimo de continuar a viver, a brincar e se alegrar.

     Diariamente como num piscar de olhos, enxergo o Nero sentado me fitando, e ouço seus miados desesperados por atenção e gritando seu amor para o mundo. Ah, e quantas vezes chamei meu Blondi de Nero! Inúmeras! Muitas delas nem me dei conta. Foi meu filho que percebia e me alertava. Isso aconteceu porque depois do meu Nero, o Blondi é que tem a personalidade mais agitada e arteira da casa. E por isso é o que é chamado mais por sua atenção.

Nero a direita com seu irmão Neve
     E o Neve, irmão gêmeo e tão parecido fisicamente com o Nero! Ah, ele era tão inseparável do irmão que vê-lo a semana toda dormindo só, me fazia partir o coração. Muitas vezes acordou e gritou... Será que chamava pelo irmão! Será que chorava a falta do Nero! Eu creio que sim. Ele, o Neve, em nenhum momento confundiu minha mente me fazendo lhe chamar de Nero, e percebi com isto, que não são semelhanças físicas que nos faz confundir a mente e chamar alguém por outro nome, e sim as características de ser e de viver, as práticas e os hábitos semelhantes de cada um. E ai pensei em meu pai, que vive me chamando pelo nome de minha irmã e vive chamando um dos meus irmãos pelo nome de outro. O que será que ali é associado!

     Enfim, a primeira semana sem o meu Nero, o meu bebezinho moor, em casa passou bastante rápida e foi muito intensa. Da mesma forma que a última semana de vida do Nero, elas serão inesquecíveis. O nosso raciocínio tenta fazer ligações entre os últimos momentos de vida e a morte, tenta explicar a morte como partida espiritual que se fazia a hora, tenta justificar a partida com algumas situações que o corpo físico vivia, como no caso do Nero que estava obeso e respirava muito mal nos últimos meses, e tenta se convencer do inconvencível, que era o momento dele partir.

Nero na Copa do Brasil 2014
     Chego à conclusão do inconclusível, de que as almas que se vão levam um pouquinho da gente e deixam um montão de si, como citou Antoine de Saint-Exupéry e Chaplin no passado. E a gente que fica com o espírito diminuído precisa lhe fazer forte. E ao longo da vida, em que vamos perdendo, também vamos nos fazendo fortes. Quem mais viver, ou quem mais perder, que não significam a mesma coisa, mais forte irá ficar. E a saudades hei de continuar. Que meu Nero descanse em paz.

      Nós aqui em casa estamos felizes porque temos um ao outro, e lembrar do Nero é só alegria. Estamos focando apenas na vida tão abundante que teve. Pois, os que ficam devem pouco chorar e mais se alegrar por ter durante um período de tempo aquela tão saudosa companhia.


27 de janeiro de 2015

Gato atropelado aparece vivo cinco dias após dono enterrá-lo nos EUA

Gato Bart pode perder o olho, mas deve sair vivo após ser enterrado pelo dono que achou que tinha morrido (Foto: Reprodução/Facebook/Humane Society of Tampa Bay)
O proprietário achou que Bart tinha morrido ao achá-lo imóvel em estrada. O bichano apareceu vivo em quintal de vizinho; imprensa o apelidou de 'gato zumbi'. Tadinho dele! Deveriam ter o apelidado de 'gato divino'.
Do G1, em São Paulo
O gato chamado Bart ganhou o apelido de "gato zumbi" na imprensa internacional depois que foi dado como morto por seu dono e reapareceu cinco dias após ser enterrado. O caso aconteceu na Flórida, segundo reportagem da Fox News.

Ellis Hutson, dono de Bart, disse que o encontrou numa estrada após ser atropelado por um carro desconhecido. Como achou que estava morto, enterrou o animal. Cinco dias depois, o bicho apareceu bastante machucado, mas vivo, no quintal de um vizinho.

Ellis então levou Bart a uma entidade de proteção de animais em Tampa Bay para receber atenção veterinária. Ele tem a mandíbula quebrada, um traumatismo na cabeça e deve perder um olho, mas é provável que saia vivo. O dono não faz ideia de como o gato sobreviveu.

21 de janeiro de 2015

Vitrines Proibidas

     Está proibida a comercialização de animais de estimação em gaiolas e vitrines em todo o Brasil. A resolução do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) passou a valer desde o último dia 15 de janeiro e inclui também clínicas veterinárias, parques de exposições e feiras agropecuárias.
As regras visam estabelecer princípios e normas que garantam a segurança, saúde e bem-estar dos animais que estiverem sob os cuidados do estabelecimento. A novidade também determina novas diretrizes de higiene e estética.

Instalações adequadas
     Os donos dos estabelecimentos comerciais também devem ter em mente que os animais necessitam de espaço suficiente para se movimentarem. “Há casos em que vários animais são alojados em espaços pequenos, sem cama para deitar nem água suficiente para beber, sem alimentação adequada. É bom lembrar que situações de maus-tratos não são apenas um ato doloso, mas também culposo”, esclarece Arruda.
Ferir, mutilar, cometer atos de abuso e maus-tratos aos animais podem acarretar em detenção de três meses a um ano, além de multa. É o que prevê a Lei de Crimes Ambientais, de nº 9.605/1998. Por isso, a importância dos médicos veterinários, já que somente eles têm condições técnicas para prestar os devidos esclarecimentos que garantam a saúde e a segurança dos animais. “Em casos de descumprimento da Resolução CFMV 1.069/2014, os profissionais devem comunicar o fato ao Conselho Regional de Medicina Veterinária, que tomará as providências necessárias,” finaliza.
Veterinários e empresários que descumprirem a resolução devem responder por processo ético.

25 de outubro de 2014

Meu 'Inimigo' Pet

     Até hoje, eu ainda não havia precisado usar nenhum veículo de comunicação para fazer reclamação porque sou uma pessoa bastante tolerante. Mas a cena que presenciei do meu Nero tremendo de frio foi muito dura, e aproveito o ensejo para publicação registrando o descaso que meu Nero viveu. E ainda a funcionária veio dar uma desculpa, na qual escutei a palavra cachorro, e a qual teve como resposta, que eu nada tenho a ver com os cachorros!

     Marquei banho para dois gatos há um mês para as 10 horas da manhã, a mesma em que abre a loja. Levei apenas um porque o outro não estava bem. Ele foi o primeiro animal a entrar na loja. Inclusive nós esperamos a loja abrir e éramos os únicos nela. Retornei à loja para pegá-lo as 11:40am e o coitado estava molhado preso na parede tremendo de frio. Situação incompreensível! Pura falta de responsabilidade dos funcionários. Tratam os clientes como bobos e maltratam os animais. Isso porque eu levei apenas um gato para o banho. Imaginem se tivesse levado os dois, como tinha agendado! O que será que tinha acontecido!

     Nunca mais esse 'Meu Amigo Pet' vai ver um gato meu. Nem de graça! Paguei 33 reais pelo banho, e preferia ter pago 100 para ser bem atendida, e não ter que ver o bicho tremer tanto. Doeu demais a cena.






Loja: Shooping Eldorado
Meu Amigo Pet
Péssimo lugar!
Abuso
Descaso
~Katia T. Fonseca

4 de outubro de 2014

Dia Santo



     Hoje é dia dele. Dia de São Francisco de Assis, o protetor dos animais. Que sua luz ilumine a humanidade com sua compaixão.

21 de setembro de 2014

Espiritualidade Felina

     'Sou daquelas que gosta de cães e gatos na mesma medida, sem preferir esse ou aquele. Admiro e deixo-me cativar pela natureza de um e de outro. O cachorro, todo para fora, lambão e brincalhão, nos conecta com as alegrias da vida. O felino, introspectivo, recolhido e hierático, sugerindo os discretos mistérios da espiritualidade.'

     Gatos são leves como as penas e silenciosos como a sombra.

~Katia T. Fonseca

31 de agosto de 2014

A Gata Triste

     Uma gata chamada Tucker está sendo chamada de "a mais triste do mundo". Ela vive em Arlington, no estado deWashington (EUA). Tucker sofre de uma doença rara, causadora da 'tristonha expressão'. Além disso, a gata também tem a pele bastante fina e sensível, e adora brincar.
(Fonte: TV-UOL)

Que tristeza gente! Meow!

29 de julho de 2014

Crime! Denuncie!

     Delegacia de Crimes Contra os Animais - SÃO PAULO
Avenida São João, 1247
Telefones : (11) 3337-5746 / 3331-8969

14 de julho de 2014

Congresso Nacional Parado

Com recursos escassos e pouco apoio de governos, ONGs se desdobram para manter milhares de bichos de estimação
Foto: Mauro Pimentel / Terra
Parados no Congresso Nacional, projetos que poderiam ajudar a conter o abandono de animais nas ruas esperam há anos para ser votados. Segundo o presidente da Frente Parlamentar em Defesa dos Animais, deputado federal Ricardo Izar (PSD-SP), há três anos a frente luta para colocar na pauta da Câmara dos Deputados um projeto que obriga os governos estadual, federal e municipal a colocar em seus orçamentos previsões de verbas para política de castração.

A Constituição Federal já estabelece que é dever do Poder Público cuidar da fauna e da flora, mas, na prática, nem todas as prefeituras têm projetos para castrar os animais. Com isso, animais que vivem nas ruas continuam se reproduzindo. “Se você investir R$ 1 em castração e controle de zoonoses, você economiza R$ 27 em saúde humana. É mais barato fazer a castração e evitar a multiplicação dos animais do que depois manter os abrigos”, diz o deputado.

Outro projeto prevê o aumento da pena para maus-tratos de animais, que passaria de detenção para reclusão. Atualmente, a Lei 9.605, de 1998, prevê detenção de três meses a um ano mais multa para quem cometer maus-tratos ou ferir animais domésticos, silvestres ou domesticados.
(Fonte:Terra)

E assim caminha a preguiça da humanidade. E quem sofre com isso: animais!
Os inocentes e indefesos animais!